sexta-feira, junho 30, 2006

No llores por mí Argentina (Da Série Trilhas Sonoras do Dia)


Será difícil de comprender
Que a pesar de estar ahora aquí
Soy del pueblo y jamás lo podré olvidar.
Debéis creerme
Mis lujos son solamente un disfraz
Un juego burgués nada más
Las reglas del ceremonial.

Tenia que aceptar
Debí cambiar
Y dejar de vivir en lo gris
Siempre tras la ventana
Sin lugar bajo el sol
Busqué ser libre
Pero jamás dejaré de soñar
Y solo podré compartir
La fe que queráis conseguir.

No llores por mi Argentina
Mi alma está contigo
Mi vida entera te la dedico
Mas no te alejes
Te necesito.

Jamás poderes ambicioné
Mentiras dijeron de mí
Mi lugar vuestro es
Por vosotros luché
Yo solo quiero
Sentiros muy cerca
Poder intentar
Abrir mi ventana y saber
Que nunca me van a olvidar.

No llores por mi Argentina
Mi alma está contigo
Mi vida entera te la dedico
Mas no te alejes
Te necesito.

Que podré decir
Para convenceros de mi verdad
Si aún podéis dudar
Mirad mis ojos
Como lloran de amor.

(Nacha Guevara)

Imagem: Reuters

2 Comentários:

Blogger papalagui disse...

Que pena o Brasil ter perdido :(

1/7/06 18:08  
Blogger Gláucia disse...

É, pena. Ficamos bem tristinhos.
Mas agora é torcer pelo Felipão, não é?
Bjs

1/7/06 20:56  

Postar um comentário

Voltar

quinta-feira, junho 29, 2006

Aos Amigos (Da série Sagrados e Consagrados)



Esse antigo post da Lída, do JanelaIndiscreta, merece ser reproduzido. Não fosse o inadjetivável poema do hh, ainda a mágica proximidade do poeta...


"ontem telefonei ao herberto helder...


....e ele deu-me a prévia autorização pra colocar um poema nesta janela."sim, lídia, bloga os meus poemas", diz ele....


Aos amigos

Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.
Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
-Temos um talento doloroso e obscuro.
construímos um lugar de silêncio.
De paixão.
(herberto helder)

imagem:Meisjesgeheimen brons - Anita Franken

3 Comentários:

Blogger papalagui disse...

Que poema lindo! Beijos e espero que esteja tudo bem. Sinto a tua falta no blogue.

29/6/06 13:54  
Blogger Gláucia disse...

O poema é mesmo único. Tens cada conterrâneo que vou te contar!!
*
Está tudo bem. Apenas um momento mais introspectivo. Mas obrigada pelo desejo. Bons desejos são sempre benvindos.
*
Beijos por aí também Papalagui.

30/6/06 00:06  
Blogger papalagui disse...

Os meus desejos para ti são sempre bons :))

30/6/06 11:12  

Postar um comentário

Voltar

terça-feira, junho 27, 2006

Anjos e Grilos (Da série Dicas e Futricas)


Hoje é terça.
Dá tempo de sobra pra se programar e ir no final de semana.
O horário é ótimo: 19 horas.
O preço também: R$ 15,00 ou R$ 12,00 - quase um cinema.
Fica perfeito pra jantar depois ou voltar pra casa cedo.
Ao gosto do freguês.

Então, por que diabos o teatro tinha menos da metade da sua lotação?
Menos da metade numa noite de sábado, quando as filas pro cinema obrigam as pessoas a chegarem pelo menos 30 min. antes do início da projeção.
Eu não entendo.
Olha, se você mora em Porto Alegre e está lendo isso, não dá pra perder.
A concepção da peça é riquíssima: mistura artes plásticas (Zoravia Bettiol), música boa (Chico Ferretti) e outros recursos audiovisuais; a Débora Finocchiaro está aquele arraso, como sempre; a seleção de poemas é caprichadíssima, se prestando tanto a um primeiro contato como permitindo uma visão de sobrevôo da obra do poeta da simplicidade.
Faz a gente se dobrar de rir, se emocionar, se encantar, rever os poetas mortos que viraram anjos e passear de mãos dadas com eles pela nossa infância.
Então vá. Não perca, não.
Casa de Cultura Mário Quintana.
Ali, no coração da cidade do coração do Quintana.

Uma Dica MI.

imagem: divulgação da peça.
mais informações: aqui

0 Comentários:

Postar um comentário

Voltar

Flores e dedicatórias (Da série Razão e Sensibilidade)


Lareira e ventania não combinam.
*
E então a pessoa adentra uma seríssima reunião sobre seríssimas questões tributárias com um singelo sanduichinho na mão. E dá meia volta convertida em tomate...
*
Isso, lindo:
"Foi inesperado que na dura lida diária de operadores do direito, nas dobras do tempo, tivesse brotado este encantado bem-querer entre nós. A vida, implacável, vai seguir seus passos. Nossas trajetórias ** não vão, provavelmente, nos propiciar mais este conviver diário. Mas este mágico sentir recíproco, aqui e ali, sem mais, nem porque, em alguns instantes vai explodir em lembranças iluminadas e vai mostrar que é por causa destas surpreendentes pulsações humanas, que aproximam algumas pessoas, que, às vezes, a vida se enfeita e festeja. E, na crueza dos dias que se sucedem, isto não é pouco."
*
Essa dedicatória, num livro que nós adoramos, me fez chorar horrrrores. Logo eu, uma pessoa tão controlada... Mas esse leonino, esse senhor, esse ser querido; bem, tudo é como ele disse: mágico, acolhedor, iluminado. Além, muito além, informe, intenso, sem fim...
*
Recomendação das Filhas, linda de morrer: FLOR.
*
Um post porreta do contador.
*
Eu queria muito entender o porquê de alguns juízes decidirem fazer coisa absolutamente diversa da que foi pedida, sem qualquer fundamentação. Pede-se A. O Excelentíssimo defere B e não se dá ao trabalho nem de esclarecer os infelizes mortais sobre suas razões de decidir...

imagem: Fátima Antunes

2 Comentários:

Blogger Lili Cheveux de Feu disse...

Hahahahaha. Alguém tirou uma foto da moça com o sanduichinho?
**
Eu quase chorei pela dedicatória e, tola eu, nem foi pra mim.
**
E pra sair do "quase chorar" é só ver esta animação da Flor. Choro todo dia. Que coisa!

Beijo Frô.

27/6/06 10:28  
Blogger Margarida disse...

Lili,
Ainda bem que ninguém tirou foto da moça com o sanduichinho, se não a moça ia poder ser chantageada pelo resto da vida!!!!!
***
Tu não tens noção. Eu amei a flor. Amei. Amei.
***
A Ticcia e eu chamamos essa pessoa da dedicatória de deus. Só entre nós, claro. Mas com isso podes imaginar o quanto me emocionei.
***

27/6/06 11:37  

Postar um comentário

Voltar

segunda-feira, junho 26, 2006

Azurra (Da Série O2 etc)


Itália 1 x 0 Austrália

Terá Don Corleone feito uma "proposta irrecusável" ao árbitro da partida para que fosse marcado aquele pênalti aos 48 minutos do segundo tempo???...


(Imagem: Reuters)

2 Comentários:

Blogger Margarida disse...

Bah,
Lê o post do Rogério.
Bj

27/6/06 01:21  
Blogger Lili Cheveux de Feu disse...

Ah! Certamente. Mas o mais importante nisso tudo é que os bonitos continuam. Delícia.

27/6/06 10:30  

Postar um comentário

Voltar

Belly (Da série Parbéns a Você)


Feliz Aniversário, linda!
Longa vida à tradutora de almas.

imagem:Daisies- Deborah Schenck

1 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Parabéns, Isabel.
Beijo.

26/6/06 14:34  

Postar um comentário

Voltar

domingo, junho 25, 2006

Batalha Campal (Da Série O2 etc)


Portugal 1 x 0 Holanda

Vitória lusa em jogo épico...
Tenso, truculento e aguerrido.
A la Felipão.

3 Comentários:

Blogger Gláucia disse...

Que jogo, não!!!!!!
Empolgante.

25/6/06 21:33  
Blogger papalagui disse...

Ia tendo um ataque cardíaco!!!! Bjs

26/6/06 12:17  
Blogger Tuca disse...

Bah, foi um jogaço! Nervos a flor da pele do início ao fim. Muito bom! A vitória de Portugal foi merecidíssima.

26/6/06 15:45  

Postar um comentário

Voltar

sexta-feira, junho 23, 2006

Estréia (Da Série O2 etc)


Brasil 4 x 1 Japão

Finalmente o Brasil estréia na Copa!
Com show de bola dos reservas.
E o retorno do Fenômeno.
Aleluia!!!
Agora sim... Rumo ao Hexa!

(Imagem: Reuters)

3 Comentários:

Anonymous marcant disse...

Desculpa, tuca, mas viste mesmo o jogo? Fenômeno onde? Retorno onde? Da onde? Nunca vi nenhuma partida onde Ronaldo jogasse qualquer coisa, embora haja isso que me desdiz, mas que não me desconcerta, porque entendo que haja sucesso mesmo nas perseveranças apáticas: maior artilheiro do planeta? Sou ignorante, como no resto, em futebol o maior, mas, com olhos de gente, julgando puramente pelo que eu vi, nesta, como nas outras partidas em que R. estacionava apesar de não ter ainda o peso que tem, vi apenas psedo-jogador parado o tempo todo a frente da goleira adversária, parado e esperando, olhando os outros jogadores lhe passando a bola que ele atrapalhadamente perdia. Podemos enumerar os gols possíveis, e os que – agora sim, aleluia! – ele finalmente conseguiu fazer. Não entendo essa conspiração de querer acreditar no que não existe, no que querem que exista, no que fazem com que seja, no futebol, eterno e desinteressante tema principal. Mas que estamos aí, e agora sim o Hexa, com ou sem esta perseverante letargia, agora sim! Grande beijo!

Marcant, el comentarista deportivo, directamente de Frankfurt ;-)

24/6/06 09:49  
Blogger Gláucia disse...

Tuca, grande post!!!!Conseguiu fazer o Marcant falar!!!!
Incrível.
Bjs pros dois.

25/6/06 00:09  
Blogger Tuca disse...

Ah, então descobrimos como fazê-lo se manifestar...
Apenas acho que o jogo contra o Japão foi a melhor apresentação do Brasil na Copa até agora, assim como houve uma melhora significativa do R. em relação aos dois primeiros jogos...
Beijos, pessoas.

25/6/06 10:06  

Postar um comentário

Voltar

quarta-feira, junho 21, 2006

Meda (Da série Razão e Sensiblidade)

Tudo faz parecer o contrário, eu sei.
Mas não, ela não gosta de brigar.
Ela tem medo, muito medo.
Se pudesse, nunca brigaria.
Mesmo.

imagem: frescura natural.joão diogo cunha

0 Comentários:

Postar um comentário

Voltar

terça-feira, junho 20, 2006

Poema para Cissy (Da série Sagrados e Consagrados)


A fita verde do post anterior, 'Das Cartas' saiu daqui:


"Há um momento após a morte
em que o rosto se torna belo
e os suaves olhos fatigados se fecham;
em que a dor acabou
e a antiga, antiga inocência do amor
gentilmente retorna e fica por perto
apenas por mais um instante.

Há um momento após a morte (que sequer é um momento)
em que as coloridas roupas penduradas no armário perfumado
e o sonho perdido fenecem lentamente;
em que os vidros e o copo de prata e o espelho vazio
e os três compridos fios de cabelo na escova
e o lenço dobrado e a cama refeita
com seus gordos travesseiros (onde nenhuma cabeça
se pousará) é tudo que restou de um grande sonho selvagem.

Mas existem sempre as cartas.
Eu as seguro nas mãos, amarradas numa fita verde,
com firme pureza entre os suaves e fortes dedos do amor.
As cartas não morrerão, esperando pelo estranho que virá lê-las.
Virá lentamente, emergindo da névoa do tempo e da mudança.
Virá lentamente, desafiador, pelo correr dos anos
cortará a fita e as espalhará a sua volta
e cuidadosamente as lerá página por página.

E a antiga inocência do amor voltará
Virá lentamente, emergindo da névoa do tempo e da mudança,
suave como uma borboleta por uma janela aberta no verão
só por mais um momento, em silêncio, para estar perto,
mas o estranho nunca saberá. O sonho acabou.
O estranho sou eu.

(Raymond Chandler, trad. Newton Goldman (Folha de São Paulo de 02.02.1986 - no Folhetim)
imagem: Evenwicht brons - Anita Franken

3 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Amo este poema! Um dos meus preferidos do o folhetim (que ganhei do pai aos 14 anos).
Beijo.

20/6/06 21:55  
Blogger Tuca disse...

Ops... Digitei um "o" a mais.

20/6/06 21:57  
Blogger Margarida disse...

Disso sabemos nós, diria Yôda...

20/6/06 22:50  

Postar um comentário

Voltar

Vento de Outono (Da Série Hai-Kai)


Vento de outono
Tapete rubro sobre a relva
Chão de framboesa

Imagem: Germano Scüür

2 Comentários:

Blogger Gláucia disse...

Tuquinha,
Teu post está leendo!!!!!!!
Adoro teus hai-kais.
E a foto, tanto gostei que tinha selecionado pra usar.
Também fiquei muito feliz com a frequência.
Bj

20/6/06 21:29  
Blogger Tuca disse...

Merci.
Esta foto é linda mesmo (já há algum tempo está entre meus arquivos). Que coisa, hein?!...

20/6/06 22:01  

Postar um comentário

Voltar

segunda-feira, junho 19, 2006

Das Cartas (Da série Stanno tutti bene)


Das cartas que não chegaram, das que sequer foram escritas, das que se perderam, das que foram enroladas em fita mimosa verde e esperam a releitura; de todas essas cartas e de todas as vidas e de todas as vias e de todas as promessas e de todos os olhares de soslaio que não viraram palavras é feita a angústia que me toma.

imagem: mural do Retta

4 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Esse filme tem tanto significado para mim. E o post ta uma cousa de louco...Espetacular.
Janine

20/6/06 00:17  
Blogger CALEXIco. disse...

Ah, Guiseppe Tornatore é rei. Eu amo.

E as cartas, principalmente as não-enviadas, são um pedaço que respira verdade mofada, dão alergia, a gente espirra, lacrimeja e cousa-e-tal.

Não repara, moça.

Beijo

20/6/06 01:15  
Blogger Margarida disse...

Vcs dois foram os meus grandes presentes virtuais. Coincidência que tenham comentadado juntos, justo neste post?????????

20/6/06 18:26  
Anonymous Janine disse...

Margarida,

Nao faz isso comigo. Assim me esbugalho toda chorando. Tao bom ler isso. Sim, Giuseppe tambem eh meu pastor e nada me faltara.

Um beijo,
Janine

20/6/06 19:30  

Postar um comentário

Voltar

domingo, junho 18, 2006

Banco de Reservas (Da Série O2 etc)


Brasil 2 x 0 Austrália

Ok, vencemos e nos classificamos para as oitavas-de-final da Copa do Mundo de 2006. Mas não nos iludamos! O Brasil jogou mal. Melhor, digo, pior, levou um baile dos australianos. Quero muito acreditar no hexa, mas sem entrar em campo é difícil. Só a história, a camisa verde-amarela, o favoritismo e o penta não garantem a taça. Seguindo assim, inevitavelmente, ficaremos pelo meio do caminho.
Ronaldo Nazário voltou, mas continua em slow motion. Roberto Carlos, doido, regogiza-se ao sortear a bola com seus chutaços de 120 Km/h que nem ele sabe onde vão parar. Cafu, veterano, ainda não aprendeu a cruzar. Émerson, sem comentários. Adriano, apesar do gol marcado, erra passes como ninguém. E Kaká, mesmo queridinho, bonitinho e família, passa a impressão de querer consagrar-se sozinho, não joga para o time.
Dida, Juan e Ronaldinho Gaúcho, os únicos titulares que não decepcionam. Zé Roberto, o melhor em campo.
Não será altura de desistir dos famosos, fenômenos, medalhões, marrentos... e dar a vez aos talentos do banco de reservas como Fred, Robinho, Juninho Pernambucano e cia???
A propósito, alguém precisa avisar ao Lúcio que ele é zagueiro!

Oremos...

0 Comentários:

Postar um comentário

Voltar

sábado, junho 17, 2006

Haja Gana! (Da Série O2 etc)



Show africano na Alemanha!

Gana 2 x 0 República Tcheca

Poderia ter sido 10 x 0...

2 Comentários:

Blogger Gláucia disse...

O Chico fez um post lindo sobre esse jogo.

18/6/06 16:02  
Blogger Tuca disse...

Foi o melhor jogo da Copa até agora! Os jogadores do gana são altivos, destemidos, valentes... Jogam para frente, jogam bonito!

18/6/06 16:16  

Postar um comentário

Voltar

sexta-feira, junho 16, 2006

Los Hermanos (Da Série O2 etc)


¡Argentina intrabable!

Espectáculo platino en el mundial de fútbol...

Argentina 6 x 0 Serbia y Montenegro

Imagem: Achim Scheidemann

2 Comentários:

Blogger Gláucia disse...

Tuquinha,
também fiquei bem contente.
Adorei a foto, óh demente... hahahaha

16/6/06 23:38  
Blogger Tuca disse...

A Argentina está jogando muito!

18/6/06 16:14  

Postar um comentário

Voltar

quinta-feira, junho 15, 2006

Retratos do Brasil (Da série Bilhetes e Lembretes)


Essa foto faz parte da exposição que abriu hoje, em Londres, de trabalhos de crianças de rua do Rio de Janeiro, que receberam câmeras e foram incentivadas a retratar momentos das suas vidas. A idéia, que parece muito razoável, é que esse seria um meio de fomentar sua auto-estima. Mais fotos no site na BBC.

1 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Que legal! Adorei a idéia do projecto. E as fotos são muito bonitas.

16/6/06 16:25  

Postar um comentário

Voltar

quarta-feira, junho 14, 2006

Voltando pra casa (Da série Bilhetes e Lembretes)


A Portenha voltou com uma proeza e tanto no currículo: foi assaltada em Madrid. Conseguiu ficar sem documentos e ter que passar um dia inteiro na Embaixada pra retornar ao Brasil. Definitivamente, isso não acontece com qualquer um...
*******
Sr. Cafeína também está de volta. Ai, que emoção. Eu nem acredito que vou conhecer o moço. A voz dele é leeeeeeeeeenda.
*******
Alguém me explica a que ponto chega a baixaria de uma mulé que depois de dividir sala com outra e privar das mais privadas privacidades, sai a espalhar por aí o currículo sexual da ex-amiga, que sempre fez questão de ser discreta sobre quem arrastava pra sua caminha. Ah! Que feio. Muito feio. Mesmo sabendo que a outra é praticamente a Bruxa Meméia. Horrível!
*******
Sim, Daniela, o menino Kaká é bonitinho. Bonitinho. Mas é bebê, criatura. Bebê. Com todo o respeito, Vosso Marido é muiiiiiito mais bonito. Muiiiiiiiiiito.

imagem: alfred gockel

0 Comentários:

Postar um comentário

Voltar

terça-feira, junho 13, 2006

Kaká (Da série O2 etc)

Brasil 1 X Croácia 0
Ufa!

4 Comentários:

Blogger Marco Aurélio disse...

A seleçinha( no diminutivo mesmo)venceu mas não convenceu. É duro ver o Galvão Bueno falando que o jogo contra Croácia estava duríssimo. Uma seleção fraca feito essa.

Um abraço

Marco Aurélio

13/6/06 19:52  
Blogger Tuca disse...

Ufa mesmo... Vitória apertada, placar magro, brasileiros apáticos em campo, levando sufoco dos croatas.
Esperemos que melhore!!! Vou acender uma vela para Santo António.
E o Ronaldo Nazário... Parece que bebe aquele rapaz!

13/6/06 20:37  
Blogger papalagui disse...

Primeiro torço por Portugal mas depois pelo Brasil!!

13/6/06 21:46  
Blogger Gláucia disse...

Marco,
Na finalera deu uma melhoradinha, não deu? Eu aposto minhas fichas no Robinho, que eu acho aquele menino uma energia. Ele levanta. Só espero que contra a Austrália a substituição não demore tanto quanto hoje, pois, ao que tudo indica, eles são muito rápidos!!!!
Tuquinha,
hoje doeu a saudade de assistirmos juntas, tu me achincalhando horrores por não entender nada de futebol. Ai, ai. Tá lindona de camiseta verde-amarela na foto. Leeeenda!
Papalagui,
Aqui em casa também torcemos pra Portugal em segundo.
Um beijo grande.

14/6/06 00:23  

Postar um comentário

Voltar

domingo, junho 11, 2006

Olhar Lacombe (Da série Vejo Flores em Você)


Adoro a Milly Lacombe. Foi a Tuca quem me apresentou. Mandava os textos que mais gostava por e-mail. Aí viciei. Alguns deles, publicados na Coluna do Meio da Revista TPM.

O homem que não bebia água

Para minha mãe

O Carro Voador

Tragicomédias da vida privada

Pequena e Notável

imagem daqui

2 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Impossível não viciar em Milly. Ela é divina, maravilhosa, translumbrante...
Adoro o texto dela!
E como comentarista futebolística ela "bate um bolão".
Ela é perfeita!
Minha guru.

11/6/06 20:16  
Blogger Harriet disse...

Leste 'para minha mãe'? Tem também a resposta da mãe dela. Me acabei!

11/6/06 21:17  

Postar um comentário

Voltar

sábado, junho 10, 2006

Arturo Bandini (Que deu origem à série Pergunte ao Pó)

Porque amo Arturo Bandini, tô louca pra ver e tô com medo de ver.
Mas vou, evidente.
Você, amigo, irmão, companheiro, se não leu, leia.
Já.
É uma necessidade.
Procure com urgência.
Cate aquela tradução do Leminski, Brasiliense, meados da década de 80 (grande brasiliense!). Essa:

Leminski, sobre o livro:
"3.
Ask The Dust, "Pergunte ao Pó".
Ocorre, porém, que o verbo to ask, em inglês, também pode significar "pedir", "pedir o jantar", por exemplo: "Peça o pó".
Por fim, to ask, ainda, significa "convidar": "Convide o pó".
Esse pó de palavras que Fante espalhou por tantas páginas.
4.
John "Arturo Bandini" Fante, obrigado por Camila Lopez, por Vera Rivken, por Hellfrick, por Hackmuth, pela senhora Hargraves, por uma noite nas praias da Califórnia, pelo terremoto, por uma história chamada "O Cachorrinho Riu", por todas essas bobagens em que consiste isso que se chama viver, e que, sem você, hoje, já teriam virado pó.
p.l., curitiba, junho de 84."
**************
O livro:
"Eu estava bêbado aquela noite, Camila, bêbado de uísque barato, e você estava bêbada de uísque e sofrimento. Lembro que depois de apagar as luzes, nu mas com um sapato no pé, te abracei e dormi, em paz no meio dos teus soluços, mas incomodado com tuas lágrimas que me caíam na boca e eu sentia o gosto do sal e pensava sobre aquele Sammy e seus textos horrorosos. Logo ele bater em você! O filho-da-puta não sabia nem colocar uma vírgula direito"

"Saí andando por aí. Meu Deus, lá vou eu de novo, batendo pernas pela cidade. Olhei para as caras em minha volta e eu sabia que a minha era que nem a deles. Caras sem sangue, caras tensas, caras angustiadas, caras perdidas. Caras como flores arrancadas do seu caule e enfiadas num vaso bonito, as cores desbotando depressa. Eu tinha que ir embora daquela cidade."
**************
Adoro Colin Farrell, mesmo. Mas Arturo Bandini mora em mim desde os 18. É sagrado. É inventado, é constantemente re-invocado, passeia em meus crepúsculos, habita meus sonhos, lê pra mim "O Cachorrinho Riu".
Tem ar de abandono e cheiro de teimosia romântica.
Vou ver o filme, é claro. Mas vou com medo.

1 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Adorei os trechos.
Veremos.
Beijo.
Tuca, a desconectada.

11/6/06 20:10  

Postar um comentário

Voltar

No banheiro de Alcatraz (Da série Diálogos Inusitados)


Final de tarde de sexta-feira. A pessoa feliz da vida com a perspectiva de dois dias inteirinhos dedicados às pantufas, cadeirinha de balanço, vinho já aberto, chuva anunciada, comidinhas - alguém já ligou perguntando o que ela deseja comer esta noite...leva 'algum', veja bem, 'algum' trabalho para fazer no aconchego de sua casinha. Boas pespectivas. Pit stop no banheiro de Alcatraz para enfrentar o engarrafamento. Oooops, chega no banheiro e dá de cara com a velha bruxa tramando baixinho com uma recém cooptada aprendiz. Tenta agir como se não tivesse reparado em nada, praticamente uma porta. Depois daqueles intermináveis segundos de silêncio consternado entre as duas, a velha bruxa lasca:
- Grávida de novo?

- Ãnh?
- Grávida de novo, ou é só uma opção fashion?

- Ah, a bata? É só uma bata. Embaixo é barriga mesmo, gordura, falta de exercício. [Poderia ter dito que também é muito mimo do atual cozinheiro lá de casa, mas correria o risco dela morder a língua e cair estrebuchando no chão...ui, inveja mata]
- Barriga? Imagina. Tu nunca tiveste barriga. Mesmo depois da gravidez, não aparecia nada. Ficou muito bonita essa cor!

- Obrigada. Quando quiser...

A velha bruxa dá aquele sorrisinho boca-mole de beiços plastificados, olhos embaçados. A aprendiz quietinha, com um risinho cínico escorrendo no cantinho do lábio. Uia, que horror. A pessoa vai ter que tomar um banho de sal grosso quando chegar em casa.
Só se sai de Alcatraz ao cruzar a última grade. Antes dela, a liberdade é sonho.

imagem: Botero (que, nesse quadro, ilustra com perfeição como me sinto em Alcatraz)

0 Comentários:

Postar um comentário

Voltar

quarta-feira, junho 07, 2006

Grande Prêmio (Da série Bilhetes e Lembretes)

Grande Prêmio da APE - Associação Portuguesa de Escritores 2006 - Romance e Novela: Longe de Manaus, de Francisco José Viegas. Nós, da AME - Associação Margarida de Escritoras, sabíamos desde dezembro último. Aqui.
*
Mais um buteco virtual disponível. Esse, especializado em cerveja. Está lá, a primeira postagem do Buteco do Seu Heitor. Isso vai ser desculpa pra muiiiiiito trago. Já estamos pressentindo.
*
E por falar em prêmio, o Sr. Animot entregará os prêmios da Promoção Animótica ainda esta semana.




2 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Parabéns Francisco.
Beijo.

11/6/06 20:05  
Blogger César disse...

Pô, e eu ainda não entreguei o prêmio. Que vergonhaaaa!

1/7/06 10:03  

Postar um comentário

Voltar

Rio de prata (Da série Informes do Tempo)



Festa do sol.
Nem frio nem calor.
Metal no espelho d'água
que prata na curva do rio.

imagem: gilberto simon

2 Comentários:

Blogger Héctor Ojeda disse...

Que bonito, mi querida Gláucia, está muy bonito el blog, un abrazo para tí.

7/6/06 21:43  
Blogger Gláucia disse...

Obrigada, Héctor.
Que bom que vieste.
Um abraço pra ti também.

7/6/06 23:01  

Postar um comentário

Voltar

Números da Estupidez ( Da série Confesso que Roubei)


Sim, eu roubei. Mas tem até justificativa: os blogs do UOL não tem permanent link.
E esse post de Riobaldo Gordon Pym
não podia passar batido. Confiram:
"Alguns números da desigualdade estrutural do sistema:


As 3 pessoas mais ricas do mundo têm uma riqueza equivalente ao PIB dos 48 países mais pobres.


Os bens das 84 pessoas mais ricas do mundo ultrapassa o PIB da China (com um população estimada de 1,2 bilhão).

As 225 pessoas mais ricas do mundo possuem uma fortuna equivalente ao rendimento anual acumulado de 47% das pessoas mais pobres do planeta, isto é, cerca de 3 bilhões de pessoas.
Bastaria 4% da riqueza acumulada das 225 maiores fortunas (avaliadas em mais de 1 trilhão de dólares) para permitir o acesso e satisfação das necessidades básicas ( alimentação, saúde e educação) a toda a população mundial.

122 empresas estão na origem de 80% de todas as emissões do dióxido de carbono (
CO2) do planeta.

Para a produção de um iate de luxo são necessárias 200 mil horas de trabalho, isto é, 96 anos de horas de trabalho de uma pessoa (trabalhando 8 horas/dia, e 5 dias numa semana). O que demonstra que por apenas alguns dias um milionário está em condições de se apropriar da vida inteira (96 anos) de um outro ser humano.
Nos Estados Unidos os 100 mais importantes diretores de empresas ganham cada um em média mil vezes mais que os seus empregados.

A fortuna pessoal de Bill Gates (de 50 bilhões de dólares) é igual à acumulação de 106 milhões de norte-americanos pobres.

O orçamentro militar norte-americano do ano de 2004 foi de 480 bilhões de dólares o que representa uma despesa de 27.373 dólares por hora desde o ano do nascimento de Cristo.
Em 2002, George W. Bush decidiu aumentar o orçamento para as despesas militares em 40 bilhões de dólares. Este aumento orçamentário norte-americano
representa exatamente o que seria necessário para resolver definitivamente o problema da fome no mundo."


Que tal?
Querem mais ou tá bom proceis?


imagem: indústria protegida (josé dos santos)

2 Comentários:

Blogger César disse...

Expropriar!!

Dos ricões, óbvio. Não da classe média, nem da classe média alta, nem da classe alta baixa.

Expropriar da classe alta alta!

7/6/06 10:10  
Anonymous José Carlos disse...

Tudo depende de quem é "ricão" para o "longa manus".

Se quiserem expropriar meus processos...

9/6/06 22:49  

Postar um comentário

Voltar

segunda-feira, junho 05, 2006

Descubriéndote (Da Série Canções do Exílio)


Te imagino y la soledad
Se me llena de ti
Y no es facil poder decir
Lo que llego a sentir

Llevo tiempo buscándote
En mi alma y mi piel
Llevo tiempo soñándote
No te quiero perder

Eres tan fragil como la luz
Abres mi amanecer
Si no me alumbras yo (no)
No me acabo de encender
Y soy un corazón que se derriba
Y late cada vez con menos vida

Llevo tiempo buscándote
En mi alma y mi piel
Llevo tiempo soñándote
No te quiero perder

Llévate mi alma en tu piel...
Llevaré tu alma en mi piel...

(Rosana Arbelo)
Imagem: Cláudio Márcio Lopes

1 Comentários:

Blogger Margarida disse...

Leeeeeeeendo.
Mail na minha caixa logo cedinho dona tuquinha.
bj

7/6/06 00:59  

Postar um comentário

Voltar

O final de semana (Da série Pergunte ao Pó)



não comi salpicão, não fui ao cinema, não encontrei os amigos, não respondi teu e-mail, não expliquei as razões, não paguei as contas, não terminei o projeto, não visitei a amiga, não dei beijo na boca, não cantei no chuveiro, não saí pra balada, não tomei chuva, não bebi daquele vinho. Apenas reli tuas cartas e me recolhi silenciosa sobre a cama, sem apetites, sem vontades, sem cores. O tempo de chorar já passou, desespero não há mais, a dor caiu mais pra baixo e sobre ela se amontoaram obrigações, umidades, densidades, musgos... já é segunda-feira e volto a caminhar no interior da roda, sem sair do lugar.
imagem: tiago krug

3 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Tem dias que também me sinto assim... Um ramister a girar na mesma roda.
Espero que saia o sol depois destes dias cinzas.
Beijo.

5/6/06 21:16  
Anonymous Marco disse...

Well, depois desse relato, só posso lembrar o filósofo, que dizia: o importante é ter saúde...beijo pra ti e ânimo...lembra...sempre pode ser pior...

6/6/06 23:32  
Blogger Miranda disse...

E não é que eu sempre gostei de filosofia!!!!!!!!!!!

7/6/06 01:16  

Postar um comentário

Voltar

sábado, junho 03, 2006

Para Teresinha, num sábado sem sol (Da série 'To Rin Tei Ko Shin Nyo')



Porque sei reconhecer a insanidade nos olhos dos amantes, e sei que se morre. Arrepio de lâmina gelada encostando na carne - tuas palavras de amor. Sabemos, tu e eu, que se morre todos os dias, crianças, poetas, amantes, pais, filhos, amigos. Sabemos, tu e eu, que só de sonho abraço quente, que pedra de engolir, que dor de danação, que sol a se esconder. Sabemos, tu e eu, que saber não consola a amante, não protege o filho, não devolve o cheiro, o suor, a carne, o silêncio compartido. Saber não vale nada nessa hora desgraçada de encarar a cadeira vazia na mesa. Porque teu amor é estupidamente belo, como só amores sabem ser, lembrei desse poema. Talvez possas pisar nele para te manter de pé.


O meu amor não cabe num poema- há coisas assim,
que não se rendem à geometria deste mundo;
são como corpos desencontrados da sua arquitectura
ou quartos que os gestos não preenchem.

O meu amor é maior que as palavras; e daí inútil
a agitação dos dedos na intimidade do texto-
a página não ilustra o zelo do farol que agasalha as baías
nem a candura da mão que protege a chama que estremece.

O meu amor não se deixa dizer- é um formigueiro
que acode aos lábios como a urgência de um beijo
ou a matéria efervescente dos segredos; a combustão
laboriosa que evoca, à flor da pele, vestígios
de uma explosão exemplar: a cratera que um corpo,
ao levantar-se, deixa para sempre na vizinhança de outro corpo.

O meu amor anda por dentro do silêncio a formular loucuras
com a nudez do teu nome- é um fantasma que estrebucha
no dédalo das veias e sangra quando o encerram em metáforas.
Um verso que o vestisse definharia sob a roupa
como o esqueleto de uma palavra morta. Nenhum poema
podia ser o chão da sua casa.

(Maria do Rosário Pedreira,
O Canto do Vento nos Ciprestes, roubado daqui)
Imagem:Telhados - Lucy Citti Ferreira

**To Rin Tei Ko Shin Nyo: Mulher da Sinceridade do Raio de Sol que brilha sobre o Pomar de Pessegueiros

6 Comentários:

Blogger papalagui disse...

Beijos grandes, Gláucia.

4/6/06 12:15  
Blogger Gláucia disse...

Obrigada, Papalagui. Tu és um amor.
*
Ele era o companheiro e grande amor da minha amiga. Tinha apenas 45 anos; dois filhos.
Nunca se está preparado, não é mesmo? Sabemos bem disso.

4/6/06 16:40  
Blogger papalagui disse...

É mesmo Gláucia. Coisa estúpida a morte.

4/6/06 20:59  
Blogger Lo disse...

Não sei o que aconteceu, e não quero saber. Já senti o que aconteceu, e me bastou.

De qlq forma, saiba que "roubei" pra mim o poema e a última frase do texto que o antecede.

5/6/06 10:29  
Blogger Gláucia disse...

Lo,
Não imagino roubos melhores do que desse poema.
Bj

5/6/06 11:57  
Blogger Tuca disse...

Adorei "To Rin Tei Ko Shim Nyo".
Pelo que sei ela é isso mesmo...

5/6/06 21:13  

Postar um comentário

Voltar

sexta-feira, junho 02, 2006

O Rio (Da série Trilhas Sonoras do Dia)


Ouve o barulho do rio, meu filho
Deixa esse som te embalar
As folhas que caem no rio, meu filho
Terminam nas águas do mar

Quando amanhã por acaso faltar
Uma alegria no seu coração
Lembra do som dessas águas de lá
Faz desse rio a sua oração

Lembra, meu filho, passou, passará
Essa certeza, a ciência nos dá
Que vai chover quando o sol se cansar
Para que flores não faltem
Para que flores não faltem jamais.

(Seu Jorge, Carlinhos Brown, Arnaldo Antunes, Marisa Monte)
imagem: Elizete Nascimento

1 Comentários:

Blogger Tuca disse...

Que linda esta letra!

5/6/06 21:25  

Postar um comentário

Voltar

Ajudando a completar a receita (Da série Túnel do Tempo)



Encontrei parte da receita de um delicioso prato. Não estão anotadas as quantidades nem o modo de fazer. Acho que sabia decor e esqueci. Se alguém souber, help; ando muito afins de comer de novo.

Ingredientes:


Passas de Uva branca e preta, Ervilha, Milho, Galinha desfiada, refogada e temperada, Palmito, Maçã, Azeitona, Tempero Verde, Nozes, Castanha do Pará, Presunto.

Acompanha: batata palha.
Acho que ia maionese pra misturar tudo isso, mas não tenho certeza.

imagem: Apple Modern - Carol Robinson

3 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Miranda,

Variacao do salpicao de natal aqui de casa. Eu fazia todos os anos antes de me mudar. A minha levava creme de leite, mostarda e maionese. Eu vou achar a receita que tenho e te passo por e-mail as quantidades. Beijo,
Keiko

2/6/06 09:27  
Blogger Tuca disse...

Hum... A receita eu não sei, mas já fiquei com "água na boca" só de ler!

2/6/06 13:49  
Blogger Miranda disse...

Acho q vou fazer uma tentativa no fim de semana, meninas. Depois conto.
Keiko,
tomara que encontres até amanhã.
Bj

3/6/06 02:37  

Postar um comentário

Voltar

quinta-feira, junho 01, 2006

A noite (Da série Razão e Sensibilidade)



A noite é
minha amiga,
minha casa,
par de asas,
lua antiga.

imagem: Margherite danzanti - M.G. Luffarelli

4 Comentários:

Blogger CALEXIco. disse...

Saudade.

1/6/06 11:39  
Blogger Tuca disse...

Inspirada!
Adorei.
Foto linda.

1/6/06 11:44  
Blogger papalagui disse...

Muito bonito! Bjs

1/6/06 14:36  
Blogger Margarida disse...

Alex,
Também, muita. Bj

Tuquinha,
Obrigada, flor.
Te Amo.

Papalagui,
fico vaidosa. Nem sabes como!
Obrigada

1/6/06 22:41  

Postar um comentário

Voltar

free web stats eXTReMe Tracker

Apollofind Counter

referer referrer referers referrers http_referer